Patrocinadores
Banner
Banner
Contra as Drogas
Àrea Restrita



Home Arquivo

DISCURSO DO GRÃO MESTRE NA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA 20/08/2010

A Maçonaria sempre esteve ao lado da sociedade brasileira nas lutas e aspirações legalistas, emancipação cívica, liberdade e pelos direitos civis. Do Imperador Dom Pedro I (1822) até Jânio da Silva Quadros (1964), o Brasil teve 9 presidentes Maçons e a Maçonaria exerceu os mais altos postos da República.

Vivemos sob regime militar por 21 anos e, findo o ciclo, a Maçonaria apostou na plenitude democrática, no Estado de Direito. Confiou a direção do País aos políticos para dedicar-se aos estudos filosóficos e à filantropia.

Nossa Ordem abdicou de sua participação política tradicional e protagonismo cívico secular, no início, por seu respeito à legalidade e confiança na classe política, seguida de profunda indignação e, por fim, de olímpico desprezo por ela.

Nossos líderes justificavam nosso distanciamento sob o pretexto de que o lodaçal em que se transformara o Poder onde chafurdavam os maus políticos, eram terrenos impuros, indignos da atenção Maçônica e dos homens de bem, esquecendo-se que os problemas do presente não vencidos serão o terrível ônus do futuro.

Pelas quatro décadas de omissão, hoje todos nós, Maçons e cidadãos, pagamos alto preço, vítimas da profunda deformação de valores éticos e morais que nossa Instituição, historicamente e desde sempre, assumiu defender.

Direitos civis foram cassados, violados e a opressão vem sendo perpetrada contra a família brasileira, por uma elite política parasitária e corrupta que oblíqua os pares dignos e se apoderou das nossas Instituições para, de lá, assaltar o erário público, sonegar justiça, manipular a verdade, solapar a segurança, saquear a merenda escolar, prateleiras de remédios nos postos de saúde, carteiras nas escolas e leitos nos hospitais.

E nosso Povo se sente impotente para se insurgir contra os que detêm o Poder e o usam para manietar a sociedade e locupletar-se às nossas custas.

Nós Maçons somos uma associação de cidadãos livres e de bons costumes. Uma Instituição secular inserida nas páginas da História Universal por seu passado dedicado a defender direitos civis, aspirações sociais e cidadãos honestos das tiranias da Terra em nome da justiça, da verdade e sob o lema Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

E como sempre o fizemos, em plena sintonia com as legítimas demandas da sociedade brasileira na história deste País, nós, Maçons paulistas, nos unimos e nos alinhamos com cada homem e mulher de bem, na resistência e combate à corrupção e à impunidade, pelo pleno respeito a direitos civis, como o de não ser esmagado pela carga tributária mais alta do planeta e achacados por corruptos, ou de ter governantes honestos, políticos e partidos que nos representem de fato, um Poder Judiciário independente, isento e ágil ou ter uma imprensa independente.

Cobramos patriotismo no exercício do Poder e um ensino libertador. Que nossos impostos sejam revertidos, sem pedágios, em prol da justiça social, progresso e do bem comum.

E o direito de criar filhos como cidadãos íntegros e libertos da praga de parasitas sociais, gerados no ventre de partidos políticos que não se responsabilizam pelos maus líderes que oferecem à escolha popular e que só pensam em amealhar mais Poder e privilégios.

Abaixo os mitos da inevitabilidade da corrupção e invencibilidade dos corruptos. Eles não são invulneráveis à justa indignação popular. Se tantos povos distantes e vizinhos se libertaram das tiranias, ditaduras e castas de poderosos corruptos, algumas no Poder há décadas, por que nós paulistas de bem não haveremos de consegui-lo também?

Cada cidadão aqui recupera sua significância cívica e testemunha um momento histórico, nova página na História da Maçonaria brasileira e iniciada em 20 de agosto de 2007, quando os Grãos Mestres Francisco Gomes da Silva da Grande Loja Maçônica do Estado de São Paulo e Benedito Marques Ballouk Filho, do Grande Oriente de São Paulo, firmaram a 1ª Carta da Maçonaria Paulista contra a Corrupção.

Em 2009, anunciamos a criação de um Movimento cívico supra Maçônico, o MDIS - Movimento Dignidade e Inclusão Social, aberto a todos os segmentos da sociedade organizada e pessoas honestas, que conta hoje com a adesão de inúmeras entidades civis e associações de classe.

O MDIS é um Portal de dignidade. Ao invés de apontar quem não presta e gerar desgosto e alienação, apontará quem tem valor e compromisso com o resgate da Dignidade no exercício do Poder. E ao invés de caçar bruxas e olhar para trás, ajudará os bons a permanecerem bons e oferecerá redenção aos políticos dispostos a mudar e a comprometer-se com a sociedade e com a ética.

Comemoramos hoje aqui, o despertar da Maçonaria paulista pela libertação do Povo dos grilhões da impotência e alienação. Cada um de nós fica responsável a exorcizar a alienação, semeando consciência e convidando os honestos a juntarem-se a nós na construção da trincheira da dignidade.

A adesão de cada justo será uma pedra a mais na construção deste templo de virtude. E organizados, vamos banir com nosso voto os velhos usurpadores da representação popular, que há muito se abrigam num Congresso que já não é mais a casa nem a cara do Povo. A Maçonaria do Grande Oriente de São Paulo conclama todos a tirar os corruptos do Poder e colocar lá, no lugar deles, cidadãos livres e de bons costumes.

Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos. Vamos semear a Revolução do bem, recuperar as décadas perdidas e mudar nosso País e nosso destino.

SAÚDE, FORÇA, UNIÃO

BENEDITO MARQUES BALLOUK FILHO

Grão-Mestre Estadual